A Girafa é Kosher?

0
274

Existe uma crença popular que é muito conhecida, onde é dito que não se tem o habito de comer girafa, apesar de ser kosher, pois não se sabe ao certo onde seria o local exato do pescoço para executar a shechitah. Sendo a girafa o maior dos ruminantes e os mais altos mamífero e tendo os cascos fendidos se enquadra perfeitamente dentro das regras da Torah1 e as qualificam como um animal Kosher. Diferente do que diz a crença popular o makom shechitah de uma girafa é também precisamente definido por Halachah, assim como é para todos os animais. Os únicos “impedimentos” para shechitah de uma girafa são as de custo e praticidade, pois a girafa está entre os animais mais difíceis para realizar o abate, e não por que não se sabe onde é o local exato para poder realiza-la.

Na Torah, HaShem disse para Moshê: “Estas são as criaturas que você pode comer”2, nossos sábios dissem que, O Santo, bendito seja Ele, segurou cada espécie e mostrou a Moshê, dizendo:”isso você pode comer, e isso você não pode comer.” como está escrito no Talmud3. Moshê, em seguida, passou a tradição para todo Yisrael, tomando posse de cada criatura, dizendo-lhes:”Isso você pode comer, e isso você não pode comer. A seguir, você deve abominar entre as aves (então ele mostrou-lhes). Estes que você deve abominar , e estes não devem abominar . A seguir, deve fazê-lo impuro (não kosher, e ele, em seguida, mostrou-lhes). Estes são impuros, e estes são limpo” como está escrito em Sifra(Shemini)4.
O zemer, listado entre os dez tipos de animais kosher em D’varim 14:05, é identificado como a girafa por Rav Saadia Gaon, Rabbenu Yona, Radak e outros.

Sobre a Halachah do makom shechitah, que é definida aplamente no Talmud(Chulin 27a) que nos diz que o abate deve ser realizados no pescoço, e que isso é uma tradição dada a Moshê no Sinai. Isto indicaria que todo o pescoço é válido para shechitah. Na maioria dos animais, existe uma preocupação de definir o local exato do pescoço, por ser uma área relativamente pequena. No caso da girafa, pode-se contemplar todo o pescoço sendo realmente válido. Não há possibilidade de equivoco, os limites anatômicos podem ser vistos em Chulin 45a, no Shulchan Aruch e também Yoreh Deah 20:1-2 para o abate ritual de todos os animais se aplicam à girafa também. Para um pombo, a região válida é de poucos centímetros de comprimento, para uma vaca seria mais ou menos 30 centímetros, e uma girafa, perto de 182 centímetros.
Um Rav especialista kashrut uma vez brincou que “quem não sabe onde fazer shecht em uma girafa ou não sabe nada sobre das leis da shechitah ou não conseguiria acertar um celeiro com uma bola de beisebol”.

Apesar da girafa se encaixar perfeitamente dentro das regras da Torah e é de fato um animal Kosher, isso não quer dizer que apartir desse momento, isso gere um aumento na demanda de produtos alimentícios. Pois como diz Dr. Yigal Horowitz, chefe veterinário do zoológico, do maior zoológico de Yisrael, o Safari Park, em Ramat Gan: “Afinal de contas, este é um animal em perigo de extinção.”. Pois acima disso devemos nos lembra que temos outra Mitzvah que nos diz que devemos ser תשחית בל(Ba’al Tashchit)5, pois não devemos destruir o mundo.

  1. 1 – Vayikra(Levítico) 11:2-8; D’varim (Deuteronômio) 14:4-8
  2. 2 – Vayikra 11:02
  3. 3 – Talmud Chulin 42a
  4. 4 – Sifra, Shemini 2
  5. 5 – D’varim(Deuteronômio) 20:19-20

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here